Crítica: Como Treinar O Seu Dragão 3 (2019)

como treinar o seu dragão 3

Como Treinar O Seu Dragão 3, mostrou ser o filme mais inteligente e bem constrúido da Dreamworks, isso, claro, desde o fabuloso Shrek.

Lançamento: 17 de janeiro de 2019
Direção: Dean DeBlois
Elenco: Jay Baruchel, Cate Blanchett, Gerard Butler

Sinopse (com spoilers do segundo filme):

Berk torna-se uma vila famosa pela convivência harmoniosa entre humanos e dragões, e os olhares de caçadores e criminosos cercam o lar de Soluço e seus amigos. Quando o ardiloso Grimmel descobre que lá vive um legítimo Fúria da Noite, põe em prática o plano de atrair o animal, usando como isca a única fêmea remanescente da espécie.

É de comum acordo que Shrek (2001) é uma obra-prima absoluta no universo das animações – ponto positivo pra Dreamworks, que levou para casa o primeiro Oscar de Animação, quando a categoria foi criada, lá em 2002. E depois de acertos e erros com franquias como Madagascar, Kung Fu Panda e o próprio Shrek, pode-se dizer que o maior trunfo recente do estúdio foi Como Treinar o seu Dragão.

Além das séries, todas bem avaliadas e queridas, a agora completa trilogia que acompanha as aventuras de Soluço e Banguela, tem filmes com níveis de qualidade altíssimos. E Como Treinar o seu Dragão 3 é um desfecho (será?) muito digno para essa série que emociona e marcou a memória de muitos cinéfilos e do público comum.

O terceiro filme da franquia traz uma Berk em crise com a estrutura interna do lugar – que está cada vez mais lotada de dragões, – e os conflitos constantes com os interessados nessas incríveis criaturas onde lá vivem e são protegidas. E esses conflitos são gatilho para várias cenas espetaculares de ação, drama e muita comédia.

Um dos grandes pontos do filme (e dos primeiros) é o elenco muito cativante, desde o desastrado Banguela até os gêmeos Cabeçaquente e Cabeçadura. Aqui, todos os personagens têm seu momento de brilhar, seja a divertida tentativa do Perna-de-Peixe em ser babá de um dragão ainda bebê, ou as irritantes investidas de Melequento em Valka, mãe do protagonista.

A atmosfera do filme, a ambientação nórdica muito bem construída, a direção cuidadosa de DeBlois, junto de uma animação absurdamente bem feita, com ótimas cenas de perseguição e tensão, tornam Como Treinar o seu Dragão 3 um verdadeiro espetáculo audiovisual. É impossível não se impressionar com os cenários em vários momentos do filme – as grandes ilhas, as cidades escuras dos mercenários, e muito mais.

Isso pra não falar no tanto que o filme tem a oferecer no que diz respeito a emocionar o espectador. Os flashbaks muito bem escolhidos da infância do Soluço com o pai – falecido no segundo filme, – que refletem na personalidade insegura e ao mesmo tempo corajosa do protagonista, são prato cheio para quem busca um filme capaz de cativar sem muita dificuldade.

Como Treinar o seu Dragão 3 é uma obra inteligente, sobre tolerância entre espécies, sobre compreender o espaço dos próximos e saber o seu lugar dentro das relações com aqueles que você repeita. É sobre proteger o seu lar e permitir que os outros encontrem o seu. Trabalho maravilhoso da Dreamworks que merece toda glória e bilheteria possível. Vá logo conferir.

Galeria:

Trailer:

Compartilhar: