Crítica: Acrimônia (2018)

Acrimônia

Taraji P. Henson é a salva-vidas de Acrimônia

Lançamento: 2 de agosto de 2018
Direção: Tyler Perry

Elenco: Taraji P. HensonDanielle NicoletJazmyn Simon

Sinopse:

Melinda (Taraji P. Henson) sempre foi uma esposa fiel, porém, cansada de ficar ao lado de seu marido preguiçoso, Robert (Lyriq Bent), se divorcia quando ele faz com que ela perca a casa de sua família. Meses depois, Melinda descobre que seu ex-marido ficou rico e está noivo de outra mulher. Sentindo que ele deve a ela todo o tempo e dinheiro que ela investiu quando estavam juntos, ela perde o controle e vai atrás de vingança.

Acrimonia é um filme bastante confuso, e a princípio se justifica porque o descontrole emocional de Melinda não é aprofundado no roteiro, e fica difícil entender até que ponto a personagem é lúcida ou não.

O longa poderia ser reeditado e virar três curtas razoavelmente bons, pois é bem marcado em três fases, a paleta de cores também prova sobre essa interpretação.

A fase inicial se pincela a personagem, e deixa no ar alguns aspectos de sua personalidade forte. Na segunda, ela sofre, está cansada, e isso atrapalha na procura daquela menina inicial. Já na terceira ela está realmente incompreensível, não se sabe se a dor, sofrimento, raiva, ou insanidade é mesmo verdade. Tudo fica meio às escuras como a paleta de cores, que vai escurecendo conforme o tempo se passa

Acrimonia poderia ser uma história de superação de uma mulher que viveu em um relacionamento destrutivo, mas não é. O roteiro se esvai pelas próprias escolhas da personagem, a sede de vingança é interessante mas é exagerada e com sérios problemas de continuidade.

Taraji P. Henson (Estrelas além do tempo; Empire – Fama e Poder) acaba perdendo muito como atriz com um personagem assim, já que o diretor e roteirista Tyler Perry perde a mão dos sentimentos de Melinda na terceira fase do filme, onde ele não explora os verdadeiros motivos dessa vingança insana, e acaba sendo movida por impulsos, e argumentos óbvios, subjugados vazios. Uma pena, Taraji é uma atriz incrível e não deixa a desejar, mas o personagem sim.

O filme em si não merece muitos baldes de pipoca, mas a nota é dada muito mais por Taraji

Galeria:

Trailer:

Aspirante a jornalista, metido a crítico. Taurino intenso, viciado em PF da esquina. Amante dos filmes que te fazem refletir, e um eterno bom vivam.

Compartilhar: