Crítica: Amigos da Clínica (2018)

Será que quem entra para o mundo das drogas, entra por que quer? Será que tem como sair deste mundo? Amigos da Clínica lhe responde tudo isso.

Lançamento: 29 de junho de 2018 (Netflix)

Direção: Elaine McMillion Sheldon

Elenco: atores desconhecidos

Sinopse:

Quatro homens tentam reinventar suas vidas e se reintegrar na sociedade depois de anos de abuso de substâncias químicas. O documentário é um olhar íntimo na força, coragem e irmandade que é preciso para superar o vício e manter a sobriedade.

Quando o assunto é droga, discussões intensas são geradas. O vício ainda é visto de forma insensível, pois levamos em consideração que livre arbítrio, se é viciado é porque escolheu ser, mas será que é assim mesmo? O assunto em si é complexo demais, e não cabe a nós julgarmos. Antes mesmos de tirarmos conclusões devemos, analisar com muita cautela o que desencadeou este vício.  E não apenas julgar por julgar sem nem mesmo saber o que está por trás.

Amigos da Clínica, documentário original da Netflix, aborda a história de um centro de reabilitação, que se localiza na zona rural de Virgínia. O lugar, Jacob’s Ladder, é considerado bem diferente quando se é comparado ao que imaginamos quando falamos de reabilitação. O centro fica em um terreno aberto, e possui inúmeros projetos que são feitos para que a recriação da vida seja estimulada.

A produção acompanha por 18 meses o processo de recuperação dos jovens. Logo de cara somos apresentados de forma humana, cautelosa a 04 jovens: Adam, Rush, Ryan e Jeff. Este efeito causado pela produção faz com que o estigma que temos de pessoas agressivas, seja derrubado logo de cara. Outro ponto muito interessante, é que o documentário nos obriga a pensar no outro. Eles sofrem, possuem problemas com drogas, mas possuem sonhos, e até mesmo são ambiciosos.

A forma com que o programa em questão atua, é algo muito interessante de se vê. O centro acolhe os viciados de uma forma carinhosa, o que se torna uma tática eficaz nesses momentos frágeis, onde tudo está quebrado: alma e mente. Os homens quando chegam lá, são valentões, insensíveis, fechados, e o programa faz com que isso se quebre, e no final temos homens que forma laços de irmandade.

Um ponto positivo, ou melhor, mais um, é a visão que a produção nos oferece. Fugindo do romantismo, a obra ainda nos mostra quando os reabilitados saem, e nos mostra qual caminho cada um irá seguir. O objetivo de Elaine McMillion Sheldon, diretora do filme é claro: conscientizar quem assiste sobre o quão grave é o vício em drogas nos EUA, principalmente em Virgínia.

É uma obra importante, que nos faz pensar e repensar sobre alguns conceitos que adotamos como verdade absoluta. É um documentário essencial. Amigos da Clínica é merecedor de 04 baldes de pipocas.

 

 

Galeria:

Trailer:

 

Compartilhar: