Crítica: Anna – O Perigo tem Nome (2019)

Anna é um filme que tenta se estruturar em volta de sua protagonista, mas acaba tropeçando em meio a muitas reviravoltas que tornam a narrativa difícil de ser memorável

Data de lançamento: 29 de agosto de 2019

Direção: Luc Besson

Elenco: Sasha LussHelen MirrenLuke Evans e Cillian Murphy

Sinopse:

Anna é uma mulher que lutou a sua vida inteira, e quando decidiu se inscrever para a marinha, acabou envolvida com conflitos que abrangem dois gigantes serviços de inteligência.

O filme se inicia com o assassinato de alguns agentes (cena essa que só ganha mais sentido no terceiro ato do longa), e a contratação de sua personagem homônima para ser uma modelo, inclusive mostrando toda a adaptação de Anna ao seu novo estilo de vida. Tudo parece muito inocente, mas obviamente as coisas não ficariam assim.

A trama principal gira em torno de como a aparentemente modelo na verdade é uma agente da KGB, mostrando a vida dupla de Anna desde os primórdios, até as desavenças que acontecem entre a personagem e a organização que prometeu sua liberdade.

Anna quer ser uma mulher livre, por conta disso abraça a oportunidade que Alex Tchenkov apresenta e acaba realizando assassinatos para a KGB. Isso resulta em algumas das cenas de ação pontuais do filme quese baseiam de certa maneira em John Wick, mas acabam não sendo tão inspiradas. A direção do longa não só nas cenas de ação acaba dependendo de cortes rápidos e sem inspiração, que acabam resultando em cenas um tanto quanto desnorteantes.

O longa opta por uma narrativa não linear que alterna entre passado e presente para explicar as motivações de sua personagem principal e as relações dela com todos os personagens. O recurso não funciona muito bem, já que a trama soa confusa e atropelada em momentos.

A atuação de Sasha Luss, Luke Evans e Cillian Murphy não é a melhor coisa do mundo, mas consegue ajudar um pouco o filme, entregando personagens com uma química interessante, e fazendo com que o público se importe pelo menos um pouco. Anna convence nas reviravoltas do filme, e os Plot twists mesmo que usados exageradamente, ganham mais profundidade graças a atriz que se dedica bastante para entregar o necessário.

Anna – O Perigo tem Nome é um filme que possui intenções boas, mas acaba se perdendo em sua execução confusa, e mesmo que a protagonista tenha carisma e força para levantar o filme, isso não é suficiente em meio a tanta bagunça.

Galeria:

Trailer:

Compartilhar: