Crítica: Atração Perigosa (2010)

De refém à namorada. É essa a pegada do filme de Ben Affleck, que interpreta um ladrão de bancos e se apaixona pela refém de um dos assaltos. Uma atração de fato perigosa.

Lançamento: 26 de novembro de 2010

Direção: Ben Affleck

Elenco: Jon Hamm, Ben Affleck, Rebecca Hall

 

Sinopse: 

Doug MacRay é o líder de um grupo de ladrões que nunca saem prejudicados, apesar das investigações da FBI. Porém depois de um assalto, um dos integrantes do grupo, Jem, leva uma refém e solta-a depois de um tempo. Após descobrir  que ela mora perto do bando, ela acaba se tornando uma ameaça.

Os bandidos de Atração Perigosa são realmente profissionais, possuem a vocação para o roubo. Porém, nem todos somos de ferro, após descobrirem que a vítima sequestrada pode se tornar uma ameaça, Doug estabelece uma relação com ela que acabou se tornando um romance. Eis que aparece o conflito do filme: confuso com o  que deverá ser feito, ele precisa definir qual será a sua última missão.

O vencedor do Oscar, Affleck, dirige e atua no filme, que apesar de ter um bom roteiro, se torna meio forçado em certos momentos. Em contrapartida, o filme é recheado de perseguições e humor. Sobre a trilha musical, ela se torna 100% compatível com a tensão do filme.

O elenco é honesto, temos Blake Lively como uma viciada, perdida na vida e viciada em sexo. O filme em si é um ótimo programa para o entretenimento, e por essa atração não ser tão perigosa que o  filme merece 4 baldes de pipocas.

4 pipocas

Galeria:

 

Trailer:

 

 

 

 

19 anos, gaúcha, sagitariana, metida a crítica e que adora uma pipoca acompanhando um bom filme.

Compartilhar: