Crítica: Corgi – Top Dog (2019)

Corgi: Top Dog é uma animação que tinha tudo para ser um curta bonitinho, mas acaba tropeçando em sua falta de consistência

Data de lançamento: 5 de setembro de 2019 

Direção: Ben StassenVincent Kesteloot

Elenco: Jack WhitehallIain McKeeSheridan Smith

Sinopse:

Rex é um corgi da família real da Inglaterra, que conquista o coração da rainha e consegue ser nomeado o Top Dog por conta disso. Quando Rex é forçado a se ‘casar’ com a corgi do presidente dos Estados Unidos, o cachorro acaba ficando infeliz e decide se aventurar pela cidade, mas acaba perdido e tendo que descobrir uma vida a qual não é acostumado.

Corgi é um filme que tem uma premissa comum no mundo dos desenhos, ensinar as crianças que conviver com as diferenças é bom, e que unidos nós conseguimos avançar, só que o conceito interessante não impede o filme de esquecer quem é seu público alvo.

Rex é mimado de começo, por conta do tratamento especial o qual a rainha dá para ele, mas a jornada de crescimento faz com que você perceba que aceitar as diferenças é algo bom. O personagem principal é o único no qual o longa foca, já que os outros personagens como Charlie a rainha e o presidente Donald Trump são só caricaturas, e acabam não ganhando tempo de tela suficiente para qualquer tipo de desenvolvimento.

O elenco de vozes brasileiras está ótimo, bem dirigido e atuado, com vozes muito marcantes para todos os personagens por mais que eles não sejam destaque na história.

O filme apresenta uma estética bonita e fluida, todos os cachorros são fofos e podem não ser realistas, mas apresentam características que vão encher os olhos de qualquer criança que assistir o filme. Além disso a trilha sonora colabora bastante para criar uma atmosfera amigável e engraçada para o longa.

A grande falha do filme, está em algumas partes que ele resolve fazer piadas de duplo sentido, ou mostrar algumas coisas de maneira diferente que os outros desenhos. Óbvio, nada é exagerado a ponto de fazer com que o longa se torne uma experiência impossível para crianças, mas horas ele pode falhar ao tentar atingir o público alvo para qual está destinado.

Corgi, é um filme agradável, mas que soa comum até demais por tocar em premissas as quais já foram abordadas por outros filmes de maneiras mais efetivas. Com uma estética bonita e piadas que podem ficar fora de contexto, o filme não se destaca entre os diversos longas do gênero.

Galeria:

Trailer:

Compartilhar: