Crítica: Escobar – A Traição (2018)

Escobar - A Traição

Mais uma vez com Escobar

 Lançamento: 23 de agosto de 2018

Elenco: Javier BardemPenélope CruzPeter Sarsgaard

Sinopse:

1981, Colômbia. Líder do Cartel de Medellín, Pablo Escobar (Javier Bardem) é um dos maiores traficantes de cocaína para os Estados Unidos, o que faz com que governo de Ronald Reagan insista na criação de um tratado entre os dois países que permita que ele seja julgado em solo americano. Decidido a combater tal ideia, Escobar se candidata e é eleito deputado federal. Paralelamente, ele se envolve com Virginia Vallejo (Penélope Cruz), uma popular apresentadora de TV que não se importa em como o amante consegue sua fortuna, apenas em como o dinheiro é empregado.

O longa é baseado no livro ‘Amando Pablo, Odiando Escobar’, escrito por Virginia Valejo, uma jornalista que foi amante de Pablo. A repórter e apresentadora conheceu Escobar antes de ele se tornar o homem mais procurado do mundo. O resultado dessa adaptação foi um filme para TV, não tem nada de inovador nessa história que a gente a gente já conhece.

Se você já assistiu Narcos e Escobar: Paraíso Perdido você já conhece a história e como ela se desdobra, e isso infelizmente faz com que você já espere algo mais de Escobar A traição, e quando não acontece decepciona.

Penélope Cruz e Javier Barden, são dois gigantes do cinema mundial que são desfavorecidos por detalhes, como exemplo por que não fazer o filme em espanhol? Os dois atores incríveis e isso só enriqueceria a produção, mas infelizmente os diálogos são em inglês com sotaque latino.

Outro ponto a se atentar é o esquecimento de que a história é de Virgínia, aos olhos dela, porém durante o filme a visão muda para a de Escobar, se tivessem se atentado a isso seria de uma delicadeza surreal, como acontece em A Teoria de Tudo. O diretor espanhol Fernando León de Aranoa (Um Dia Perfeito), fez um trabalho mediano, pois o filme é perfeito para ser apresentado na Globo aos domingos.

Se você ainda não conhece a história de Escobar com sua Amante Virgínia, o filme vale a pena ser assistido para conhecer a história, caso o contrario veja pelas estrelas. O filme não é ruim, só se perde em detalhes.

Galeria:

Trailer:

Aspirante a jornalista, metido a crítico. Taurino intenso, viciado em PF da esquina. Amante dos filmes que te fazem refletir, e um eterno bom vivam.

Compartilhar: