Crítica: Garota Exemplar (2014)

Uma crítica ao sensacionalismo da imprensa moderna.

Data de Lançamento: 2 de Outubro de 2014.
Direção: David Fincher.
Elenco: Rosamund Pike, Ben Affleck, Carrie Coon, Neil Patrick Harris, Tyler Perry.

Sinopse:

Amy Dunne (Rosamund Pike) desaparece no dia do seu aniversário de casamento, deixando o marido Nick (Ben Affleck) em apuros. Ele começa a agir descontroladamente, abusando das mentiras, e se torna o suspeito número um da polícia. Com o apoio da sua irmã gêmea, Margo (Carrie Coon), Nick tenta provar a sua inocência e, ao mesmo tempo, procura descobrir o que aconteceu com Amy.

Conforme as investigações são conduzidas, vemos flashbacks de quando Nick e Amy se conheceram e se apaixonaram. Amy, uma garota modelo, inspiração para a personagem principal de uma famosa História em quadrinhos criada por seus pais, “Amazing Amy” e Nick, um professor e dono de bar se conhecem, apaixonam-se e se casam.

Somos conduzidos pelo diário de Amy através das lembranças, e ao mesmo tempo no presente acompanhamos a comoção da imprensa encima do desaparecimento da famosa “Amazing Amy”.

As lembranças escritas no diário mostram um casamento que no início era perfeito se transformar em um casamento crise, devido a problemas financeiros, perda de emprego e envolvendo até mesmo agressão física, e juntamente com as atitudes de descaso de Nick como passar a noite com sua amante enquanto sua esposa está desaparecida, e provas encontradas pela polícia, levam o público a acreditar que Nick possa ser suspeito do homicídio da esposa, e que Amy era o tempo todo a vítima da situação. A situação ainda piora com a pressão da imprensa, acusação de vizinhos e as poucas informações sobre Amy que Nick consegue dar aos investigadores.

No momento seguinte, o filme nos leva para um lado oposto, pois em forma de flashbacks Amy detalha como foi ela a forjar todo seu desaparecimento e como planeja incriminar o marido por sua morte.

A forma como os espectadores é conduzida entre um ponto de vista e outro é notável, o roteiro é envolvente, mesmo que a princípio o desenvolvimento seja lento.

A construção da personalidade psicopata de Amy também é um fator excepcional, ela passa da “garota exemplar” idealizada e reprimida pelos pais, a uma insensível homicida capaz de qualquer coisa para conseguir seu objetivo, usando quem está em seu caminho a seu favor.

Apesar do filme ter um final inconclusivo, é carregado de expectativas e reviravoltas, personalidades corruptas, vingança e traição. Uma crítica ao sensacionalismo exagerado da imprensa americana encima de celebridades.

A atuação de Ben Affleck como o patético e dependente Nick e a impressionante performance de Rosamund Pike como vilã, somente deixam espaços para elogios, ambos souberam conduzir as personalidades de seus personagens de forma magnifica.

“Garota Exemplar” é uma excelente pedida quando o assunto é plot twist. Esta obra é envolvente e prende a sua atenção do início ao fim. Conta com uma grande atuação de Rosamund Pike e Ben Affleck sendo Ben Affleck, sendo que aqui a falta de espírito e alma para atuar agem à seu favor na criação do personagem que justamente precisa passar essas características. Um filme que ao seu final deixa inúmeras possibilidades para o espectador especular o futuro.

Merecedor de 5 baldes de pipoca.

5 pipocas

 

Galeria:

Trailer:

 

 

 

 

Compartilhar: