Crítica: La Llamada (2018)

Seria Deus um grande fã de Whitney Houston?

Lançamento: 05 de fevereiro de 2018

Direção: Javier Ambrossi e Javier Calvo

Elenco: Anna Castillo, Belén Cuesta, Macarena García

Sinopse:

María (Macarena Garcia) e Susana (Ana Castillo), duas adolescentes de 17 anos, passam o verão no acampamento católico La Brújula, em Segóvia, e têm por hábito desrespeitar as rígidas regras de convivência estabelecidas pelas freiras. Fãs de música electro latina, elas têm um duo chamado Suma Latina e são inseparáveis, mas estranhas aparições de Deus (Richard Collins-Moore) cantando sucessos de Whitney Houston passam a afetar profundamente María, fazendo-a repensar suas prioridades e interesses.

Já pensou acordar no meio da noite com Deus cantando Whitney Houston para você? É exatamente isso que acontece com María, uma adolescente que está com sua amiga em um acampamento espiritual. Tendo na direção Javier Ambrossi e Javier Calvo, dois estreantes, o filme apresenta de uma forma inusitada um grande acontecido: o chamado para a vida religiosa.

Susana e María são duas adolescentes, melhores amigas que foram juntas para o acampamento, porém, toda essa amizade é colocada à prova quando ambas decidem apostar em objetivos e desejos diferentes: María deixa de lado as saídas noturnas, para poder entender o porquê daquele Homem aparecer para ela no meio da noite cantando as belas canções de Whitney.  Já Susana ao mesmo tempo que tenta apostar em sua carreira musical, lida com a questão da sua sexualidade.

Da mesma forma que as meninas tem que lidar com seus dilemas pessoais, elas tem que conviver com as duas freiras do acampamento. Um pouco mais velha que as jovens, Milagros é uma freira insegura de si, que também precisa se resolver com suas próprias questões. Já Bernarda de los Arcos, é uma freira mais experiente, que ajuda María a lidar com o chamado, e que acredita que a música é o grande milagre para tudo. E de certa forma, para o filme é.

O roteiro do longa quando analisado pela primeira vez pode nos parecer meio tolo, porém quando analisamos uma segunda vez, o humor que o longa carrega é perfeito para abordar temas tão polêmicos. O chamado religioso, a descoberta da sexualidade. Tudo isso é abordado leveza, não tornando o longa algo pesado e massante de ser visto.

A trilha sonora não há o que dizer. O filme conta com as belíssimas canções da grande Whitney Houston, assim como músicas religiosas e também com músicas  consideradas grandes sucessos das décadas passadas. É um grande musical religioso.

O filme tinha tudo para ser polêmico, porém se tornou um musical divertido, provocante e cheio de brilho. La Llamada é merecedor de 03 baldes de pipocas.

3 pipocas

Galeria:

Trailer:

 

Compartilhar: