CRÍTICA: Mamma Mia: Lá Vamos Nós de Novo! (2018)

Mamma Mia: Lá Vamos Nós de Novo! conta várias histórias de amor da melhor forma possível: ao som dos clássicos do ABBA.

Data de lançamento:  2 de Agosto de 2018 
Havia uma grande questão sobre qual história seria contada na sequela para Mamma Mia! Afinal, o que mais poderia ser feito com os personagens? E existem canções suficientes do ABBA para encaixar perfeitamente na história?

No início do filme, Sophie (Amanda Seyfried) trabalha para dar os retoques finais para grande reabertura do hotel em que sua mãe passou a vida na Grécia, agora renomeado como Bella Donna. Sky (Dominic Cooper) está em Nova York, tentando aprender sobre a indústria hoteleira. Durante o curso foi-lhe oferecido um emprego permanente, e ele está pensando em aceitá-lo, algo que Sophie se opõe, especialmente com a grande reabertura se aproximando.

A história é amarrada por flashbacks que contam a história de Donna, a mãe de Sophie. Nós primeiros, Donna (Lily James) está em sua formatura da faculdade planejando como explorar o mundo a caminho de certa ilha na Grécia. Nesta parte somos introduzidos as versões mais novas de boa parte do elenco, aqui podemos entender como Donna se envolveu com os três pais de Sophie.

O filme foca muito no presente que, por sua vez, não traz nada de novo ou alguma grande questão a ser resolvida, mas o objetivo deste filme não é uma reviravolta ou surpresa para o enredo. O ponto principal do filme são as músicas e elas são muito divertidas. Eu mantive um sorriso no rosto durante a maior parte do filme, graças às músicas e as danças. Sim, algumas músicas parecem forçadas na história, mas isso não é algo tão ruim. O canto é de primeira qualidade e a coreografia e fotografia durante estas cenas também são fantásticas.

O elenco original retorna em sua maioria e  eles são ótimos e o elenco jovem não fica para trás. Uma grande razão pela qual os flashbacks deste filme fizeram maravilhas foi o retrato perfeito da Jovem Donna por Lily James. James foi capaz de capturar o jovem espírito alegre de Donna, que evolui para a persona que Meryl Streep viveu no primeiro filme.

Entre os jovens atores que interpretam os jovens pais como rapazes, Hugh Skinner (como Jovem Harry) e Josh Dylan como Jovem Bill, eles não convencem muito mas são importantes para a história. Jeremy Irvine foi o melhor entre os três em sua interpretação como Jovem Sam. As garotas Jessica Keenan Wynn e Alexa Davies estão incríveis como Tanya e Rosie.

A participação de Cher era muito esperada, no papel de avó da Sophie, Ruby. A performance dela foi basicamente chegar no set e ser a Cher com sua glamorosa personalidade, moda de alta costura, peruca platinada e uma pele incrivelmente suave, Ruby até parecia mais jovem do que sua filha Donna.

Eu já disse que este filme foi divertido, certo? Há muitas risadas, também há várias insinuações sexuais que, a meu ver, poderiam ter sido atenuadas. No entanto, o filme também tem um lado muito sério. Na verdade, eu te desafio a assistir ao filme e não chorar durante a cena final.

Nota:

Galeria de fotos:

Trailer do filme:

Compartilhar: