CRÍTICA: Missão Impossível – Efeito Fallout(2018)

Missão Impossível
Missão Impossível – Efeito Fallout é a melhor extravagância de ação do ano- até agora.
Data de lançamento26 de julho de 2018 

Elenco: Rebecca FergusonTom CruiseHenry Cavill

Ethan Hunt (Tom Cruise), o maior agente da Impossible Missions Force (IMF), é chamado para uma nova missão. Ele fará o que for preciso – seja saltar de um avião, fingir ser um vilão, atravessar de Paris em uma motocicleta, saltar sobre telhados em Londres ou seqüestrar um helicóptero – para fazer o trabalho.

Após os eventos de Missão: Impossível – Nação Secreta, a sombria rede de ex-espiões conhecida como Sindicato fica sem seu líder Solomon Lane (Sean Harris). O IMF descobre que os remanescentes do Sindicato, chamados de Apóstolos, estão planejando adquirir plutônio para construir três bombas nucleares. Os apóstolos também planejam tirar Lane da prisão.

Cabe a Hunt e sua equipe parar os Apóstolos e evitar a devastação do mundo, mas será uma tarefa difícil. Ethan, Luther Stickell (Ving Rhames), Benji Dunn (Simon Pegg) e seu chefe Hunley (Alec Baldwin) também enfrentam oposição interna: a diretora da CIA, Erica Sloane (Angela Bassett), desconfia do IMF e de seus métodos, e atribui seu principal agente, August Walker (Henry Cavill), para ficar de olho em Hunt e ajudá-lo durante a mssão.

Para complicar as coisas, Ilsa Faust (Rebecca Ferguson), uma agente do MI6 que por anos agiu disfarçada como membro do Sindicato e que tem um rancor pessoal contra Lane, entra novamente na briga. Ameaçado por todos os lados, Hunt e companhia têm seu trabalho colocado a prova e as apostas estão em níveis estratosféricos.

A série de filmes Missão Impossível, baseada no programa de TV dos anos 60 com o mesmo nome, é interessante porque até agora cada filme foi dirigido por um diretor diferente: Brian DePalma dirigiu o primeiro, John Woo, o lamentável segundo trabalho, J.J. Abrams fez sua estréia na direção de longa-metragem com o terceiro, Brad Bird, sua estréia com o quarto, e Christopher McQuarrie, o quinto. McQuarrie, que também escreveu o roteiro para este filme, é o primeiro diretor de retorno da franquia, e se torna um marco.

Fallout é um filme forte e ágil, uma vitrine de cenários deslumbrantes que se juntam a uma trama de reviravoltas. Este é um filme sério em que Hunt enfrenta graves consequências profissionais e pessoais, mas nunca é sombrio ou arrogante. Funciona por 147 minutos, mas é notavelmente leve. As cenas de ação podem se estender por 15 minutos e por mais de uma vez, mas o público fica colado na tela.

A perseguição que cruza Paris e traz Hunt driblando o trânsito na infame Rotatória do Arco do Triunfo joga todos os truques de ação na tela.  Muitas seqüências neste filme são completamente insanas, mas têm uma sensação distintamente diferente das cenas exageradas que encontramos, por exemplo, em algo como a franquia Velozes e Furiosos.

Tom Cruise pode tropeçar em um filme ou outro, como qualquer ator, mas ele pode ser considerado o melhor herói de ação. Este não é um homem meio-termo, e para alguém de 56 anos é impressionante como ele empurra-se ao limite absoluto em nome de nosso entretenimento. Cruise quebrou o tornozelo pulando pelos prédios de Londres, e isso continua no filme. Hunt mostra força e resistência quase sobre-humanas, e Cruise oferece um desempenho tão envolvente que acabamos concordando.

Cavill é divertido como Walker, um arrogante e letal agente da CIA, destinado a servir como folha de papel de Ethan. Uma sequência inicial em que a presunção de Walker quase custou a ele e a toda a missão Ethan estabelece Walker como uma pessoa que não pensa duas vezes antes de se arriscar, mas não é tão sagaz quanto Hunt. Cavill é um ator que às vezes pode ser um pouco chato, mas com o desenvolvimento da história, ele se torna um personagem muito interessante.

Missão: Impossível – Efeito Fallout é a melhor extravagância de ação do ano- até agora. Um passeio pelasmais diversas emoções que te deixará sem fôlego , talentos incríveis que se desenvolvem com precisão e delicadeza. Um espetáculo que irá te fazer pensar que “é, todos os filmes deveriam ser feitos desta forma”.

Galeria:

Trailer:

Jornalista que vive a base de café, loucura e chocolate, 22 anos de Mc Donalds na veia. Viciada em Beyoncé e filmes de terror. 

Compartilhar: