Crítica: O Processo (2018)

O Processo, um documentário que te faz ver, pensar e refletir sobre: “primeiro a gente tira a Dilma, depois…”. E depois?

Lançamento: 17 de maio de 2018

Direção: Maria Augusta Ramos

Elenco: Dilma Rousseff, Lula, Chico Buarque de Hollanda

Sinopse:

O documentário acompanha a crise política que afeta o Brasil desde 2013 sem nenhum tipo de abordagem direta, como entrevistas ou intervenções nos acontecimentos. A diretora Maria Augusta Ramos passou meses no Planalto e no Congresso Nacional captando imagens sobre votações e discussões que culminaram com a destituição da presidenta Dilma Rousseff do cargo.

Todos nós sabemos que o impeachment de Dilma iria acontecer, estava óbvio. Tanto é que as imagens de O Processo são coletadas em 2016, são imagens reais de acontecimentos reais. Maria Augusta Ramos traça uma narrativa sem perder o foco durante seu desenvolvimento.

O filme, que é norteado por uma visão de um outro mundo, não é bem uma investigação. O documentário tem tanto seu início quanto seu fim, com um polarização do povo,  mostra todos os pontos, registra o que rolou nos bastidores. A produção acompanha é claro, Dilma, mas também nomes-chaves do PT, assim como Janaína Paschoal, a advogada responsável pelo pedido de impeachment.

Maria Augusta Ramos seguiu os mesmos passos de Frederick Wiseman, que diz não expor sua pessoa em seu filmes, pois segundo ele, no mesmo momento em que você ligar a câmera, terás em sua frente alguém fantasiado de “social”, e bem, os políticos são craques nisso. Apenas por serem políticos, já se tornar criaturas midiáticos, até mesmo se não tiverem um palanque.

A diretora construiu uma estrutura interessante no projeto, que possui figuras bem definidas. Ela quis mostrar de dentro como os rituais da burocracia servem apenas para realimentar seus jogos e aumentar ainda mais a distância entra as instituições e as populações. O Processo é uma espécie de espectro que raramento aparece em ocasiões além de especiais.

É um belo documentário, te faz pensar, te faz refletir, te faz decidir.

O Processo é merecedor de 04 baldes de pipocas.

Galeria:

 

Trailer:

Compartilhar: