Crítica: Ponto Cego (2018)

Ponto Cego

Ponto Cego é reflexivo e necessário para mostrar as cobranças de distintas sociedades

Lançamento 4 de outubro de 2018

Elenco: Daveed DiggsRafael CasalJanina Gavankar

Sinopse:

Em Oakland, Califórnia, o ex-presidiário Collin (Daveed Diggs) enfrenta os últimos dias de liberdade de condicional antes de acertar as suas contas com a justiça. Quando ele e o amigo Miles (Rafael Casal) presenciam uma troca de tiros envolvendo policiais, eles hesitam sobre a melhor coisa a fazer. O caso expõe as diferenças de pensamentos entre eles e revela os traumas sociais de cada um.

Ponto Cego é um filme de drama. O filme inicia com Collin recebendo sua condicional com o adendo de andar na “linha” e não ter nenhum tipo de problema durante esse tempo. Faltando 3 dias para terminar sua condicional, Collin presencia um homem negro ser morto por um policial branco, bem a sua frente.  E a partir desse momento, Collin se vê refletindo no mundo a sua volta.

Ponto Cego é muito bom em mostrar as diferenças de realidade dos personagens, a personagem Val (Janina Gavankar) faz uma analogia com as famosas imagens dupla, onde se você olhar de novo, acaba vendo outra imagem.

O amigo de Collin, Miles (Rafael Casal) é muito carismático, tem o estilo do gueto, e sempre arruma confusão. Ele e o seu amigo se conhecem desde a infância, então um cobre o outro nas brigas. Mas, durante o filme, é mostrado que apesar deles terem vindo do mesmo lugar, ele tem cobranças diferentes na sociedade, onde Collin tem que provar a todo o momento, e independente da situação, que é inocente, por causa do estereótipo do negro ser bandido, e Miles por falar gíria, e ter o estilo do gueto, acaba passando por uma situação que o faz refletir sobre o seu lugar perante outras pessoas brancas.

O filme tem vários pontos altos, mas um dos momentos que precisa ser destacado é onde acontece uma discussão pesada entre Collin e Miles, eles discutem sobre as diferenças sociais entre eles, e seus respectivos privilégios.

A trilha sonora do filme é envolvida com rap, e a ambientação sempre mostrando a área urbana de Oakland. Daveed Diggs sempre estar soltando umas letras de rap durante o filme- Ate porque o ator também é cantor, e isso é bom, porque a letra se encaixa na situação em que estão.

Destaque para a atuação de Daveed Diggs, e Rafael Casal, onde conseguem transpassar bem a amizade entre os dois, e a insegurança do mesmo.

Por fim, Ponto Cego é dramático com seus momentos de humor, mas principalmente reflexivo ao mostrar duas realidades em comum, mas com cobranças da sociedade diferentes.

Galeria:

Trailer:

25 anos, Aquariano total do contra, Capoeirista, amante de filmes de terror e viagens no tempo. Não pode ver doce que já quer atacar.

Compartilhar: