Crítica: Vingadores: Guerra Infinita(2018)

O maior filme da Marvel em volume, altura e proporções causou alvoroço antes mesmo de sua estreia. 
Data de lançamento: 26 de abril de 2018 
Direção: Anthony Russo, Joe Russo

Sessões lotadas, cosplays, filas e muita pipoca, assim começa a exibição de Vingadores: Guerra Infinita. ‘Quem vai morrer?’ grita alguém durante a vinheta icônica da Marvel, e logo na primeira cena Thanos e seus filhos invadem a nave de Thor com o objetivo de pegar a Joia do Espaço, que está dentro do Tessaract, objeto que Loki salvou antes da destruição de Asgard.

Thanos, o titã colossal, um dos mais poderosos do Universo Marvel, busca o equilíbrio e evolução do mundos e acredita que para isso metade da população deve sumir. A medida que os super-heróis são apresentados a história do vilão, começamos a entender a magnitude do poder que ele terá uma vez que possuir todas as Joias do Infinito.

A joia do tempo está com Doutor Estranho. A joia do Poder está com a Tropa Nova. Do espaço que está com Loki. A da mente, que está com Visão. Joia da alma, que está escondida em um planeta distante. E por fim, a joia da realidade, que está com o Colecionador.

Os filmes da Marvel são conhecidos pelas ‘piadinhas’ e Guerra Infinita não é diferente. No entanto, os grandes momentos do filme são os de tensão. Os eventos da Guerra Civil ainda estão vivos na memoria de todos. Tony Stark vive tranquilo em Nova York enquanto Steve Rogers, depois de abandonar sua identidade como Capitão Amérca está escondido – disfarçado – com Viúva Negra e Falcão. Mas o momento não é para divisão, uma vez que o vilão reuni forças para dizimar metade do universo.

O roteiro é costurado lindamente quanto a apresentação dos personagens, as transições da trilha sonora, por exemplo, quando somos levados a nave dos Guardiões da Galáxia, são tão bem estruturadas a ponto de prever quem aparecerá na tela. Cada herói tem o seu mundo e é fácil reconhece-lo. E a ‘musiquinha’ dos Vingadores? Ah, ela causa arrepios.

O filme se passa depois dos eventos do Pantera Negra, os Vingadores estão separados e o Homem- Arranha vive uma vida normal. O Soldado Invernal está em Wakanda. Os Guardiões da Galáxia estão atendendo pedidos de socorro pelo espaço e, Thor e Loki estão com Hulk após o Ragnarok. É tanto herói que seria impossível dar atenção a todos, obviamente, porém o brilho dos Vingadores e dos novos heróis está claro a todo momento.

Mas todos estes heróis podem destruir Thanos? As cenas de batalha são de longe as melhores. Tudo é colossal, a força do vilão trás um tempero a mais as lutas. Os generais de Thanos são incrivelmente fortes – como o pai – e as batalhas que envolvem Hulk, Guardiões da Galáxia, Homem Aranha, Homem de Ferro e PRINCIPALMENTE Doutor Estranho são extraordinárias.

As atuações estão maravilhosas, destaque para Zoe Saldanha como Gamora, ela trás a intensidade necessária para as cenas com Thanos, interpretado por Josh Brolin, que também deixa sua marca no personagem trazendo humanidade ao vilão.

Guerra Infinita é tudo que queríamos e precisávamos. Nossos super- heróis favoritos unidos lutando contra um vilão á altura, batalhas épicas e dramas pesados. Muito pouco pode ser previsto, e o obvio é a emoção de ver um dos melhores filmes de super-heróis já feito.

Galeria

Trailer:

Jornalista que vive a base de café, loucura e chocolate, 22 anos de Mc Donalds na veia. Viciada em Beyoncé e filmes de terror. 

Compartilhar: