Luz, ópera, teatro e Fernando Meirelles

Os Pescadores de Pérolas

Os Pescadores de Pérolas é um documentário da HBO que desvenda o maior e mais completo espetáculo vivo

Lançamento: 14 de outubro de 2018
Diretor: Carlos Nader
Elenco: Fernando Portari, Camila Titinger, Leonardo Neiva

Todo mundo conhece Fernando Meirelles pela direção de filmes como “Cidade de Deus” (2002), “Ensaio Sobre a Cegueira” (2008), entre outros, mas nesse lançamento do canal Max o aclamado diretor troca de plano. Em Ópera Aberta – Os pescadores de Pérolas o espectador é convidado para um mergulho profundo no primeiro espetáculo dirigido por Meirelles no Theatro da Paz, em Belém do Pará.

Dividido em três atos, assim como a ópera, o documentário é dirigido por Carlos Nader e uma produção Roberto Rios, Paula Belchior e Patricia Carvalho, da HBO Latin America, e Andrea Barata Ribeiro e Bel Berlinck, da O2 Filmes. Ao longo dos 104 minutos de filme são usados relatos de Meirelles, do elenco e também da produção. Indo além de explicar a história o diretor amplifica os detalhes. Além da atuação nos palcos há cenas do ensaio, da apresentação final, do backstage e também cenas do filme “Iracema – Uma Transa Amazônica” (1975), obra de grande referência para Meirelles.

Os pescadores de pérolas é um libreto de autoria do francês Georges Bizet e conta a história de dois amigos Zurga e Nadir que se apaixonam pela mesma sacerdotisa. Para manter a amizade entre eles ambos concordam em manter distância dessa mulher, de nome Leila, pela amizade. Repleta de clichês, como o próprio Meirelles afirma, tudo se complica quando Nadir reencontra Leila e os dois se apaixonam.

Em sua estreia na direção de uma ópera Meirelles dribla as limitações físicas do teatro ao trazer como recurso alguns trechos gravados em externas. Com a junção do o cinema e do teatro fica possível manter a velocidade do espetáculo sem deixar de lado os detalhes, um exemplo disso são os momentos de perseguição. Seria impossível trazer uma floresta para cima dos palcos, mas totalmente possível em uma tela de projeção.

Sem deixar de lado nada de lado o documentário trata também sobre a polêmica em que Meirelles foi acusado de aceitar a direção do espetáculo apenas para ganhar dinheiro público, isso por conta dos recursos liberados pela Condecine (“Medida Provisória nº 2.228 – 1 de 6 de Setembro de 2001, artigo 39”. Quanto à essa acusação Meirelles afirmou se totalmente errada já que, no final das contas acabou recebendo cerca de 21 mil reais por seis meses de trabalho.

Além de uma grande descoberta para o espectador Ópera aberta – Os pescadores de Pérolas também é um desvendar do olhar e da criação de Meirelles. Ao ver os detalhes, diversos pontos de vistas e os argumentos a aproximação com a arte da ópera torna-se natural e a relevância da música nesse resultado também.

 

Compartilhar: