Daniela Vega tem homenagem negada no Chile por ter “nome de homem”

No Chile, pessoas transgênero não podem alterar oficialmente seu nome nos documentos 

Depois de ter feito história no domingo (04) ao ter seu filme vencendo o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e ter sido a primeira mulher trans a apresentar a premiação, a atriz Daniela Vega acabou sentindo o gosto amargo da discriminação por sua identidade de mulher transgênero em sua seu país.

Assim que retornou ao Chile, Vega teve sua homenagem de “cidadã ilustre” negada pelo prefeito da cidade de Ñuñoa, Andrés Zarhi.

Em um discurso às redes de TVs locais ele disse:

A Quem estamos entregando o prêmio? Se temos a identidade de um homem impresso em seu documento oficial, não podemos entregá-lo a uma mulher”.

No Chile não é permitido que pessoas transgêneros alterem seu nome social para seu documento oficial.

 

 

Compartilhar: