Scarlett Johansson abandona “Rub & Tug”. Filme que interpretaria personagem transgênero.

Scarlett Johansson

Scarlett Johansson abandona Rub & Tug, o filme em que interpretaria Jean Marie Gill, que foi designada como mulher ao nascer, mas que assumiu a identidade de um homem, Dante “Tex” Gill.

Quando o projeto foi anunciado em 2 de julho, houve uma reação imediata contra o projeto por Johansson, uma mulher cisgênero, sendo escalada para interpretar um transgênero.

Scarlett Johansson abandonou a Rub & Tug, o filme que a teria visto interpretar um transgênero. Rub & Tug conta a história de Jean Marie Gill, que foi designada como mulher ao nascer, mas que assumiu a identidade de um homem, Dante “Tex” Gill, e operou um salão de massagens e prostituição em Pittsburgh nos anos 70 e 80.

Danai Gurira é escalada para Godzilla Vs Kong

À luz das recentes questões éticas levantadas em torno do meu elenco como Dante Tex Gill, decidi retirar respeitosamente minha participação no projeto“, disse Johansson em um comunicado à Out.com.

Nossa compreensão cultural das pessoas trans continua avançando, e eu aprendi muito com a comunidade desde que fiz minha primeira declaração sobre o meu casting e percebi que era insensível. Eu tenho grande admiração e amor pela comunidade trans e sou grata que a conversa sobre inclusividade em Hollywood continua “.

O filme era previsto re-unir com o diretor Rupert Sanders com quem ela trabalhou em Ghost in the Shell.

Leia a declaração de Johansson abaixo.

“À luz das recentes questões éticas levantadas em torno do meu casting como Dante Tex Gill, decidi retirar respeitosamente a minha participação no projeto. Nosso entendimento cultural das pessoas trans continua avançando, e eu aprendi muito com a comunidade desde que fiz minha primeira declaração sobre o meu casting e percebi que era insensível. Tenho grande admiração e amor pela comunidade trans e agradeço que a conversa sobre inclusividade em Hollywood continue. De acordo com a GLAAD, os personagens LGBTQ + caíram 40% em 2017 em relação ao ano anterior, sem nenhuma representação de pessoas trans em nenhum grande lançamento de estúdio. Embora eu tenha adorado a oportunidade de trazer a história e a transição de Dante à vida, entendo por que muitos acham que ele deveria ser retratado por uma pessoa transexual, e agradeço que esse debate, embora controverso, tenha estimulado uma conversa mais ampla sobre diversidade e representação em filme. Eu acredito que todos os artistas devem ser considerados iguais e justos. Minha produtora, a These Pictures, busca ativamente projetos que entreter e ultrapassar fronteiras. Estamos ansiosos para trabalhar com todas as comunidades para levar essas histórias mais pungentes e importantes para o público em todo o mundo.”

25 anos, Aquariano total do contra, Capoeirista, amante de filmes de terror e viagens no tempo. Não pode ver doce que já quer atacar.

Compartilhar: