Crítica: Memórias De Uma Gueixa (2006)

“Não nos tornamos uma gueixa porque queremos, mas porque fomos obrigadas a ser.”. Esse é o logo de uma verdadeira obra de arte nipo-americana, mesmo sendo mais americana do que japonesa, o filme nos trás toda beleza de maravilhosas memórias…

Lançamento: 3 de fevereiro de 2006
Direção: Rob Marshall
Elenco: Eugenia Yuan, Zhang Ziyi, Gong Li

Sinopse:

Chiyo (Suzuka Ohgo) foi vendida a uma casa de gueixas quando ainda era menina, em 1929, onde é maltratada pelos donos e por Hatsumomo (Gong Li), uma gueixa que tem inveja de sua beleza. Acolhida por Mameha (Michelle Yeoh), a principal rival de Hatsumomo, Chiyo ao crescer se torna a gueixa Sayuri (Zhang Ziyi). Reconhecida, ela passa a desfrutar de uma sociedade repleta de riquezas e privilégios até que a 2ª Guerra Mundial modifica radicalmente sua realidade no Japão.

Quando o assunto é Japão, os EUA consegue nos trazer imagens mais do que maravilhosas, e se tratando de uma adaptação de um best-seller, o filme cumpre mais do que com sua promessa.

Rob Marshall na direção, nos mostra tudo e mais um pouco do “secreto mundo” das Gueixas. Jogos de câmera precisos, cortes marcantes e claro, um roteiro muito bem adaptado.

O filme nos marca pela sua sedutora promessa. Passamos a vida nos questionando “O que são gueixas? Quem são as gueixas? O que elas fazem?”, e com o filme temos um romance e uma história contada. Podemos achar que foi baseado em fatos reais, sua narrativa é espetacular. Como não se lembrar do esplendoroso Titanic ao ser narrado pela nossa protagonista já envelhecida?

Sim, a sua narrativa aqui se mostra presente, com a diferença de: não vermos a protagonista envelhecida. Essa é sua chave mestra.

O filme causou muita polêmica na comunidade Japonesa, primeiro porque o elenco é formado quase que 100% com atores chineses, segundo que o idioma falado foi o inglês e terceiro que maquiaram muita coisa que as gueixas passaram durante a guerra. Mas, polêmicas a parte, ele é uma obra de arte.

Cenas marcantes? Várias! A cada cena que nos dá, é uma surpresa, é algo que nos prende e nos coloca o MAIS, sempre MAIS. Quem dera se alguns filmes fossem assim…

Seu elenco, mesmo que carregando nomes desconhecidos a quem não é ligado a filmes asiaticos, é espetacular. Atuações dignas de aplausos. Zhang Zizi, que da a vida a protagonista, é de uma beleza fora do normal. Olhos sedutores, voz calma, expressões marcantes e um toque de doçura fazem com que essa atriz nos coloque ao lado de Sayuri, que sintamos sua aflição e sua paixão. Faz com que queiramos que ela viva um grande amor até seu último dia. Parabéns! A jovem atriz conseguiu desenvolver sua personagem tão complicada, de maneira natural e sem muito esforço. Do outro lado, temos Gong Li, que interpreta a gueixa Hatsumomo. Ela nos cega com sua beleza. Somos obrigados a concordar, mesmo com tanta maleficência, a beleza dela ultrapassa qualquer ponto de vilã. Hatsumomo é invejosa, arrogante, prepotente, astuta, impulsiva, movida pela ganância e por sua beleza, diferente de Sayuri, que nos mostra doçura e humildade. Uma briga de gigantes, devo dizer. Pontos para lá de positivos!

Tudo nos envolve, desde a palavra inicial até os créditos finais. O filme que recebeu 2 indicações para o globo de ouro e ainda vencedor do oscar como melhor fotografia, direção de arte e figurino, nos mostra um mundo além, ele vai até a Terra do Sol Nascente e nos mostra um pouco de sua cultura, um pouco da beleza japonesa e nos da uma aula de história cultural.

O figurino é invejável! Os kimonos são espetaculares, as maquiagem nem se fala!

Sua fotografia recebeu o Oscar… precisamos dizer algo mais? Tudo feito na medida, nada a mais ou a menos, sempre na medida.

Sua trilha sonora é marcante, entra em tons frios e vai para tons quentes, nos envolvendo ainda mais.

Pelo fato do filme ter duas horas de duração, pode ser que alguns espectadores fiquem entediados, já que não é um filme para ser apenas visto, e sim, apreciado. Ele cumpre com sua promessa, ele nos leva além, ele nos traz a pureza, a elegância, a sabedoria, a beleza e muito, muito amor.

Merecedor de 5 baldes de pipoca.

5 pipocas

Galeria:

 

Trailer: