Crítica: Pato Pato Ganso (2018)

Sem alcançar grandes voos, Pato Pato Ganso aborda a construção familiar.

Lançamento: 20 de julho de 2018 (Netflix)

Direção: Christopher Jenkins

Elenco: Lim Lance, Jim Gaffigan, Zendaya

Sinopse:

Peng (Jim Gaffigan) é um ganso solteirão imaturo. Em uma de suas travessuras ele separa os irmãos patos Chao (Lim Lance) e Chi (Zendaya) do resto do grupo de migração.  Agora ele precisa descobrir como cuidar de crianças e levá-las de volta para casa.

A nova animação da Netflix, dirigida por Christopher Jenkins, Pato Pato Ganso, nos canta a história de Peng, um ganso garanhão e egoísta, que possui uma namorada, e que de vez em quando se mete nos conflitos do pai super protetor de sua amada. O filme começa bem, com uma harmonia bacana, com um visual bonito, porém tudo isso é quebrado quando há a migração das aves, e Peng acaba se separando o bando e sofrendo um acidente.

O filme gira em torno da viagem de Peng, que ainda não sabe tudo o que sua espécie pode fazer. Nessa sua jornada, o nosso protagonista encontra dois filhotes de pato, Chao e Chi que também se encontram perdidos de seu bando, e é aí que a nossa história começa. Os patinhos, automaticamente começam a ter um afeto pelo ganso, e começam a lhe chamar de mãe, e não de pai.

Como sempre há um vilão na história, e nesta história o vilão é um gato. Um gato predador que decide ir atrás do ganso como um objetivo pessoal, e se fazer cada vez mais presente na trama. A cada vitória do ganso, a relação entre os patos e o ganso se torna mais forte, e ali começam a ver que os três, quando unidos podem ir aonde quiserem, que um pode suprir a dificuldade do outro, como uma família. Afinal, o filme trata sobre o nascimento de uma família.

A produção nos apresenta um belo visual, porém a sua narrativa não é das melhores, assim como os personagens, falta para eles características marcantes – assim como vemos em típicas animações. As situação que encontramos nos filmes são típicas, a animação se torna apenas mais uma animação dentro deste universo.

Pato Pato Ganso aborda um tema interessante e importante: construção familiar. Porém, se a direção fosse um pouco mais ousada, com o perdão do trocadilho, se o filme alcançasse voos maiores, a animação seria perfeita. Ela é boa, mas se torna apenas mais uma.

O filme é merecedor de 03 baldes de pipocas.

Galeria:

Trailer: